A caixa misteriosa marcou a primeira prova do Masterchef, depois que foram definidos os 19 participantes - Foto: Carlos Reinis/Band/Masterchef
Harmonizações

Masterchef Brasil 6 – 3º episódio

Uma prova tensa para os jurados e para os participantes! Depois que foram decididos os 19 cozinheiros era hora de mostrar para eles onde eles estão. E como disse um dos jurados, foi um show de horrores! Como aconteceu nas edições passadas, a tensão e o tempo curto mostraram que afetam bons cozinheiros, fazendo com que eles tomem decisões erradas de combinação de ingredientes. Teve também muita falha técnica, o que trouxe muita irritação na cozinha.

Veja o resumo do 3º episódio da 6ª temporada, exibido em 7 de abril de 2019.

Na primeira parte, uma prova da caixa misteriosa (que é a marca do programa) diferente. Na hora de se dividirem nas bancadas, Fernando ficou sem caixa. A bancada dele então foi colocada mas, quando abriram as caixas, a dele estava vazia.

A surpresa foi para todos os participantes, que, um a um, tiveram que ceder ingredientes para o colega, à escolha do Fernando. Eu gosto deste tipo de prova logo cedo na competição porque cria polêmicas e intrigas, lembrando os participantes que eles estão em um jogo.

O tempo para criar algum prato foi de 1 hora. E como acontece nas primeiras provas, decisões erradas deixaram vários candidatos tensos, refletindo na finalização dos pratos.

A caixa misteriosa marcou a primeira prova do Masterchef, depois que foram definidos os 19 participantes - Foto: Carlos Reinis/Band/Masterchef
A caixa misteriosa marcou a primeira prova do Masterchef, depois que foram definidos os 19 participantes – Foto: Carlos Reinis/Band/Masterchef

Nos destaques, Natália foi a primeira a ser chamada. Ela fez a alcatra de porco com couve refogada e molho de laranja. Foi elogiada, mesmo com alguns problemas no prato.

Eduardo M. foi o segundo a ser chamado e apresentou a alcatra de porco recheada de chuchu com chips de mandioca e purê de beterraba. A carne estava seca e os jurados não entenderam a combinação dos ingredientes. O chef Erick Jacquin chegou a dizer que o prato estava incomível e que parecia comida de cachorro.

Marcus veio em seguida com alcatra de porco, mandioca frita e creme de milho. Os jurados gostaram da simplicidade do prato mas eu achei que ele serviu pouco purê. No mais, também concordei com as críticas sobre o “menos é mais” do prato.

Rodrigo foi o quarto cozinheiro e levou um nhoque de feijão branco, molho com redução de caldo com porco e milho refogado. O prato dele estava bem criativo e foi elogiado pelos jurados por essa iniciativa, de ter feito uma comida diferente dos outros participantes.

Imaculada fez uma couve refogada com uma alcatra e molho de legumes mas não deu. O prato estava ruim, sem gosto e sem tempero, segundo os jurados.

O sexto prato foi da Ecatharine. Ela fez uma alcatra suína acebolada com purê de mandioca e couve refogada. Foi muito criticada e o Jacquin mal comeu.

André trouxe uma alcatra suína marinada no vinho, com purê de mandioca, farofa de castanha e milho e ervilha salteados na manteiga. A comida estava temperada e bem feita, segundo o chef Henrique Fogaça, e foi elogiada por ele.

Eduardo M., Imaculada e Ecatharine foram os destaques negativos e tiveram uma desvantagem na segunda prova.

Rodrigo, Natália, Marcus e André fizeram pratos com poucos ingredientes e se deram bem. André foi escolhido como o melhor prato e venceu a primeira prova, indo para o mezanino com os outros destaques positivos.

Antes da prova de eliminação, André escolheu 2 participantes para subir ao mezanino. Mas ele não pode levar os indicados pelos outros colegas que estavam no mezanino – causando mais intriga, do jeito que eu gosto! Ele escolheu o Fernando e a Juliana, que ficaram livres da prova de eliminação.

O desafio era fazer um nhoque diferente com um molho do tipo ragu em 1 hora de prova. Mais uma vez vários participantes passaram aperto pela escolha errada de ingredientes (um clássico do Masterchef, não é verdade?).

Eduardo R. e Janaina fizeram os melhores pratos e foram elogiados. A vencedora desta prova foi a Janaina, que fez um nhoque de abóbora com ragu de músculo, bacon e cogumelos. O prato estava bem bonito, com aquele molho vermelho e parecia apetitoso.

Juliana venceu a prova de eliminação com um nhoque de abóbora - Foto: Carlos Reinis/Band/Masterchef
Juliana venceu a prova de eliminação com um nhoque de abóbora – Foto: Carlos Reinis/Band/Masterchef

Entre os piores, Haila, Helton, Imaculada, Carlos e Juliana. Os chefes liberaram três participantes e ficaram os dois piores: Carlos e Imaculada. Por ter faltado sabor e ter tido mais erros, Imaculada foi eliminada. Ela teve a chance de ver antes como era o prato que ela ia fazer e, mesmo assim errou, por isso foi eliminada, segundo o chef Henrique Fogaça.


Veja também os resumos dos outros episódios desta temporada. Na próxima semana tem mais dicas de estilos de cerveja para harmonizar com os pratos vencedores do Masterchef Brasil – 6ª temporada.

E lembre-se: todo domingo, durante o programa, ao vivo, você acompanha e comenta no Twitter @cervejaegastro, Na segunda o resumo é publicado aqui no site. Comente o que você achou das nossas sugestões de harmonização!

Responda

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *