Filme "O Retorno de Ben" com Julia Roberts e a cerveja Funky e Sour são só destaques da coluna de hoje de cinema - Foto: Montagem com Divulgação/Diamond Films Brasil e Reprodução/Cervejaria Tupiniquim
Cinema no Cerveja e Gastronomia

Cinema: O Retorno de Ben

Estreou nos cinemas nesta semana, com distribuição da Diamond Films Brasil, o novo filme de Julia Roberts. “O Retorno de Ben” mostra a relação de mãe e filho afetada pelo vício das drogas. Só que a mãe não faz ideia do real problema em que o filho se meteu e vai descobrir isso em uma noite trágica. Essa é a dica de hoje da coluna de cinema desta semana, do site Cerveja & Gastronomia.

"O Retorno de Ben" é o novo filme de Julia Roberts - Foto: Divulgação/Diamond Films Brasil
“O Retorno de Ben” é o novo filme de Julia Roberts – Foto: Divulgação/Diamond Films Brasil

O filme começa com o aparecimento de surpresa de Ben em casa, perto do natal. A mãe, interpretada por Julia Roberts, fica completamente emocionada e faz de tudo para agradar o filho. Aos poucos nós vamos entendendo – antes mesmo que a personagem dela perceba – que há algo errado nesse retorno.

A cada cena, vamos descobrindo que o filho estava há 77 dias internado em uma clínica, depois de quase ter morrido por overdose. A relação dele com a mãe ficou bem abalada depois disso mas ela mostra a todo instante que não deixou de amar e proteger o filho, à sua maneira. A cena do shopping ilustra bem essa situação, quando Julia Roberts traz à tona um lado vingativo que não tínhamos visto até então.

Ben é interpretado pelo jovem ator Lucas Hedges (que concorreu ao Oscar na categoria ator coadjuvante por Manchester à Beira-mar). Neste filme ele está muito bem. Reparem na cena do posto de combustível, mais para o final do filme, como ele atua nos detalhes visuais, bem acompanhado pelo roteiro.

A história me surpreendeu algumas vezes, com a forma como ela se encaminhou. O filme começa com um tom de drama, depois encaminha para um policial. É uma boa sequência em que você começa a descobrir quem é realmente Ben. Um choque para a mãe, que, mesmo descobrindo tudo, segue forte na tentativa de salvar e proteger o filho das drogas.

Sem dar spoiler, mas preciso fazer um comentário sobre o final. O filme termina quando você está no ápice do choro. Isso mostra o quanto o diretor Peter Hedges, soube dosar bem as ações previstas no roteiro que ele escreveu baseado em experiências pessoais:

“Eu vim de uma família que foi profundamente impactada pelo vício, em álcool e drogas. Algumas pessoas se recuperaram, outras não, e alguns membros da família ainda estão lutando contra isso. Então, depois que eu sofri a perda de alguém próximo a mim e vi outra pessoa que eu conhecia em recuperação, eu quis fazer um filme que explorasse como uma pessoa que está neste estado pode impactar todos os membros de uma família.”

Peter Hedges, diretor do filme “O Retorno de Ben”

E antes que alguém diga que o diretor colocou o próprio filho no filme, como um dos atores principais, uma curiosidade: o pedido para que Lucas Hedges fizesse o filho de Julia Roberts no filme veio da própria atriz. Ela contou que ficou muito impressionada com a atuação dele em “Manchester à Beira-Mar” e mandou uma foto dela, com o filho, que também é ruivo, para convencer Lucas a participar do filme. Com um convite desses, não dá pra recusar, não acham?

Relação de mãe e filho é o elo com toda a história do filme "O Retorno de Ben" - Foto: Divulgação/Diamond Films Brasil
Relação de mãe e filho é o elo com toda a história do filme “O Retorno de Ben” – Foto: Divulgação/Diamond Films Brasil

O que beber?

É claro que ainda estou no clima do Festival Brasileiro da Cerveja. E a dica de cerveja hoje é uma Sour Ale com Brettanomyces, da Cervejaria Tupiniquim, premiada com a medalha de ouro na categoria The Best of Show, entre as comerciais de grande porte.

A Funky & Sour é uma cerveja ácida, de cor dourada, com baixíssimo amargor. O que chama a atenção na boca é a acidez e as características trazidas pelas Brettanomyces como o cheiro de couro, por exemplo.

Não é uma cerveja fácil de ser compreendida. O cheiro de “fazenda” pode incomodar algumas pessoas, mas acho que vale a experiência e a insistência, para treinar o paladar. As Brettanomyces trazem um caráter mais seco e frutado para a cerveja, quando jovem. À medida que a cerveja envelhece, o cheiro passa a ser mais próximo ao cheiro de fazenda, conhecido no mercado como “funky” (Daí o nome, Funky & Sour).

A cerveja, produzida pela Tupiniquim em Porto Alegre, tem 4,5% de álcool e foi feita a partir de uma American Sour, finalizada com levedura de champagne. Este, para mim, é o pulo do gato dessa receita. Traz um ar fresco para a cerveja, que fica muito refrescante e leve.

Funky & Sour é uma cerveja feita com Brettanomyces pela Tupiniquim - Foto: Reprodução/Cervejaria Tupiniquim
Funky & Sour é uma cerveja feita com Brettanomyces pela Tupiniquim – Foto: Reprodução/Cervejaria Tupiniquim

Toda sexta-feira você vai encontrar, aqui, nesta coluna, uma indicação de filme e de um rótulo de cerveja. Mas quais os critérios para a escolha dos filmes e das cervejas? Veja aqui como é feita a nossa coluna semanal. Você também pode ler as colunas anteriores.

E o que você achou deste filme e da cerveja? Escreva aqui nos comentários e compartilhe sua opinião com a gente!

Responda

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *