Ponte Golden Gate, um dos principais pontos turísticos de São Francisco – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
Viagens

Turismo Cervejeiro em São Francisco

A região da Califórnia, nos Estados Unidos, reúne um grande número de cervejarias. É um mercado que cresceu rapidamente por lá e várias empresas conhecidas estão instaladas em cidades na região.

Quando estive em São Francisco, no ano passado, anotei algumas dicas para você curtir a cidade e as cervejas!

A rua Lombard, neste quarteirão, é famosa por seu formato em zigue-zague – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
A rua Lombard, neste quarteirão, é famosa por seu formato em zigue-zague – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia

Para começar, São Francisco é uma cidade que tem áreas planas, como o porto e uma parte do centro e áreas bem montanhosas, como a Torre Colt e Chinatown. Eu gosto muito de andar pela cidade, quando estou de férias, mas prepare o fôlego. Em alguns dias eu cheguei a caminhar 22 km!

Detalhe de uma rua de Chinatown, em São Francisco – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
Detalhe de uma rua de Chinatown, em São Francisco – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia

Para quem vai pela primeira vez alguns passeios são imperdíveis e obrigatórios. O primeiro deles e mais famoso é a Golden Gate Bridge. A ponte, imortalizada em uma infinidade de filmes de Hollywood, fica na parte norte da cidade. Para chegar até lá, a indicação de transporte público é ônibus mesmo e gasta uns 40 minutos, se você estiver na região de Castro ou Centro. Por isso separe um tempinho considerável para você não fazer uma visita muito corrida.

Ponte Golden Gate, um dos principais pontos turísticos de São Francisco – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
Ponte Golden Gate, um dos principais pontos turísticos de São Francisco – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia

Chegando lá, você pode visitar o parque que fica no entorno, descer para a parte baixa da Golden Gate ou alugar uma bicicleta e atravessar a ponte. Todas as opções são bem legais. No site deles você tem outras informações, em inglês.

Na ilha de Alcatraz, em São Francisco, a dica é fazer o passeio noturno, que permite uma vista como essa – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
Na ilha de Alcatraz, em São Francisco, a dica é fazer o passeio noturno, que permite uma vista como essa – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia

Outro ponto turístico obrigatório é a Ilha de Alcatraz. Eles têm vários pacotes para visitação que incluem diferentes passeios. Você pode fazer o passeio com guia em Áudio, eletrônico, mas o melhor passeio e mais interessante é o que inclui a visita guiada pela ilha, o guia eletrônico e o passeio noturno. Foi esse que eu fiz e durou cerca de 4 horas. A dica é reservar antes, pela Internet, pois os tickets deste passeio se esgotam rapidamente.

Dentro da prisão de Alcatraz, em São Francisco – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
Dentro da prisão de Alcatraz, em São Francisco – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia

Veja neste vídeo um pouco do que acontece durante o passeio noturno:

É muito legal conhecer áreas que ficam fechadas normalmente. Dá uma ideia melhor do que aquele presídio representou para a época. E pode soltar o dedo que lá rende muita foto boa, inclusive as fotos de São Francisco no fim de tarde, hora em que o passeio está acabando.

No passeio noturno da ilha de Alcatraz você passa por áreas que normalmente não estão abertas ao público – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
No passeio noturno da ilha de Alcatraz você passa por áreas que normalmente não estão abertas ao público – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
O bairro de Castro tem uma rua decorada em homenagem ao movimento LGBTQ+ – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
O bairro de Castro tem uma rua decorada em homenagem ao movimento LGBTQ+ – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia

Na histórica região de Castro, a rua que celebra a diversidade (e que tem até as faixas de pedestre pintadas nas cores do arco-íris) é um bom passeio.

Famoso cinema Castro, na rua de mesmo nome, em São Francisco – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
Famoso cinema Castro, na rua de mesmo nome, em São Francisco – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia

Minha dica é ir para a região pouco antes da hora do jantar. É que no bairro ao lado, Mission District, você encontra uma rua repleta de restaurantes. Se você é como eu, que gosta de andar pelas ruas até encontrar um restaurante que combine com a sua fome, essa rua é uma excelente opção.

A rua é a 18th, fica entre as ruas Dolores e Van Ness, como você pode ver no mapa abaixo. E nas ruas do entorno você encontra muitas, muitas opções. Eu fiquei hospedado em Castro, então comi ali quase todas as noites.

Mapa da região de restaurantes do Mission District - Foto: Reprodução/Google Maps
Mapa da região de restaurantes do Mission District – Foto: Reprodução/Google Maps

Posso sugerir dois lugares: uma pizzaria sensacional e uma sorveteria. A pizzaria é a Delfina. Está sempre lotada, mas se você não se importar e estiver viajando sozinho, como era o meu caso, pode se sentar no balcão.

Pizzaria Delfina está em uma rua do bairro Mission/Dolores repleta de restaurantes – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
Pizzaria Delfina está em uma rua do bairro Mission/Dolores repleta de restaurantes – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia

Além da pizza Marguerita bem recheada, de massa firme, eles oferecem outros tipos de massas feitas de forma caseira.

Pizza da Delfina, em São Francisco, para uma pessoa – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
Pizza da Delfina, em São Francisco, para uma pessoa – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia

Como em todos os restaurantes da cidade, o cardápio sempre tem muitas cervejas especiais.

Fathom Ipa é uma cerveja produzida pela Ballast Point, na Califórnia – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
Fathom Ipa é uma cerveja produzida pela Ballast Point, na Califórnia – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia

Todas na faixa dos 10 dólares, o que deixa o preço final um pouco pesado para nós, brasileiros, já que uma latinha pode custar quase R$40,00. Eu tomei uma Ballast Point, do estilo IPA.

Sorveteria tradicional em São Francisco que investe em sabores novos. Este é de Lavanda com Mel – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
Sorveteria tradicional em São Francisco que investe em sabores novos. Este é de Lavanda com Mel – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia

Na volta pro hotel, vi uma fila e logo pensei “deve ser coisa boa”. Descobri que era uma sorveteria e aproveitei para tomar o sabor mais diferente que conheci: lavanda com mel. É muito bem feito e equilibrado – quando está quase parecendo produto de limpeza e perfume, o mel vem e limpa o paladar. Recomendo mesmo a experiência. A sorveteria se chama Bi-rite.

Por falar em sorvete, não dá para ir a São Francisco sem dar aquela paradinha na fábrica de chocolates mais famosa da costa oeste americana: a Ghirardelli.

Banana Split é uma das sobremesas à venda no Ghirardelli Square – Foto: Gleison Barreto Salin – Cerveja & Gastronomia
Banana Split é uma das sobremesas à venda no Ghirardelli Square – Foto: Gleison Barreto Salin – Cerveja & Gastronomia

No local onde funcionou uma das fábricas, a Ghirardelli Square, hoje há um minishopping com uma loja enorme da marca de chocolates. Eu comprei essa Banana Split e valeu bem à pena.

Mesas do subsolo do Ghirardelli Square em São Francisco. Local vende todos os chocolates da marca e ainda oferece sobremesas feitas na hora – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
Mesas do subsolo do Ghirardelli Square em São Francisco. Local vende todos os chocolates da marca e ainda oferece sobremesas feitas na hora – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia

Golden Gate Park

O Golden Gate Park não tem nada a ver com a famosa ponte. Ele fica numa área a oeste de São Francisco e tem vários museus e uma área verde gigante. É um passeio bem leve e tranquilo, onde você encontra muitos moradores da cidade, que usam o parque para fazer atividades físicas.

Golden Gate Park fica na parte oeste da cidade – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
Golden Gate Park fica na parte oeste da cidade – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia

Lá você encontra ainda um Conservatório Botânico, um Museu de Ciências bem legal, um jardim japonês e um museu de arte. É lá também que fica o memorial em homenagem às vítimas da Aids. No site deles tem a lista de todas as atrações, em inglês.

Eu passei um dia todo por lá, caminhando, visitando os museus, tirando fotos. Acabei fazendo um lanche no restaurante do Museu de Ciências. Comi um sanduíche de frango marinado na erva-cidreira, com picles e vegetais, ao estilo vietnamita. Para harmonizar com a salada, escolhi uma India Pale Ale, pois queria que os lúpulos conversassem com o tempero do frango. Ficou bem legal e a cerveja, da Calicraft estava muito boa.

Na Califórnia há sempre uma boa cerveja para todos os tipos de lanche – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
Na Califórnia há sempre uma boa cerveja para todos os tipos de lanche – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia

Cervejaria Orgânica

Uma das surpresas – boas – foi encontrar essa cervejaria no meio do caminho. Eu estava caminhando, do Museu de Arte Moderna de São Francisco (SFMOMA), para a área do porto, onde ia visitar a Ilha de Alcatraz, quando tive essa visão:

Fachada da cervejaria ThirstyBear, perto do mercado no porto de São Francisco – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
Fachada da cervejaria ThirstyBear, perto do mercado no porto de São Francisco – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia

Sim! Uma cervejaria, na hora do almoço, ali, prontinha para me receber! Claro que fiz uma paradinha e pedi logo uma régua das cervejas para conhecer uma variedade maior de estilos. Eles fabricam cervejas com ingredientes orgânicos. É bem legal, com o cardápio fica um guia que explica, de forma bem didática e resumida, como a cerveja é produzida. Acho bacana pois isso aproxima o consumidor, que aprende a valorizar aquilo que ele está bebendo.

No cardápio, além dos preços, a descrição das cervejas inclui os maltes e os lúpulos usado – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
No cardápio, além dos preços, a descrição das cervejas inclui os maltes e os lúpulos usado – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia

Eu não provei as comidas, pois tinha horário reservado no porto, mas curti demais as cervejas. Minhas preferidas: A Foggy Haze Ipa, bem lupulada e equilibrada, a Stout, com nitrogênio, super bem feita, e a Panda Bear, uma Golden Ale feita com nibs de cacau e baunilha, que dá um sabor adocicado bem característico na boca.

Tábua de degustação da cervejaria ThirstyBear, em São Francisco – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia
Tábua de degustação da cervejaria ThirstyBear, em São Francisco – Foto: Gleison Barreto Salin/Cerveja & Gastronomia

No site deles você pode saber mais sobre as cervejas e sobre os lançamentos da época. Recomendo demais essa visita, principalmente porque é uma cervejaria no centro da cidade.

Eu também visitei a fábrica da Anchor Brewery, mas essa visita eu vou deixar para um post separado, que será publicado na semana que vem!


Ficou com alguma dúvida? Quer fazer alguma pergunta? Deixe aqui nos comentários!

Responda

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *