Mary Shelley e a cerveja King`s Cross são as dicas desta sexta-feira na coluna de cinema - Foto: Montagem com Divulgação/Parallel Films e Divulgação/Cervejaria Verace
Cinema no Cerveja e Gastronomia

Cinema: Mary Shelley

Frankenstein é uma obra mundialmente conhecida da escritora Mary Shelley. Já foi eleita como uma das três melhores obras de terror da literatura clássica (ao lado de Drácula e O Médico e O Monstro). Mas você nunca teve a curiosidade de saber como essa obra foi escrita? Quem foi a autora, que em pleno início de século XIX escreveu este livro? Essa é a dica da coluna de cinema desta sexta-feira, do site Cerveja & Gastronomia.

Elle Fanning interpreta a escritora Mary Shelley - Foto: Divulgação/Parallel Films
Elle Fanning interpreta a escritora Mary Shelley – Foto: Divulgação/Parallel Films

A história do filme “Mary Shelley” acompanha a vida da escritora desde a adolescência. Ela, que era fascinada pelas histórias de terror, conhece sua grande paixão nesta fase, com 16 anos. Aos 17 ela foge com ele, Percy Shelley, e leva a irmã mais nova, numa aventura que depois se tornaria um triângulo amoroso pra lá de complicado!

Mary penou…. viveu com dificuldades por uma boa parte da vida, sofreu com o preconceito, com a morte e com as traições. Tudo que ela passou aparece no livro e o filme mostra bem como esses processos mexeram com a cabeça dela. Frankenstein é um monstro que, inconscientemente, expurga tudo aquilo que fez mal a Mary. Esse processo que ela passou é quase uma terapia, visto aos olhos de hoje.

Uma curiosidade está no interesse dela pelas técnicas de reanimação. O filme mostra que o primeiro contato foi no teatro, com uma apresentação de mágica. Foi assim que ela começou a juntar as ideias para sua grande obra. A presença de Lord Byron na vida dela também foi fator importante. Polêmico e ousado, Lord Byron propôs um jogo em que cada um deveria escrever uma história de terror. Aí surgiu Frankenstein, num dos momentos de maior força da escritora.

Cena em que Mary Shelley se encontra com Lord Byron - Foto: Divulgação/Parallel Films
Cena em que Mary Shelley se encontra com Lord Byron – Foto: Divulgação/Parallel Films

O filme tem uma bela fotografia e o roteiro segue o ritmo da época. As atuações também são boas e no geral o filme é uma ótima pedida para uma sessão em casa. O filme está no catálogo da Netflix. Veja o trailer:

O que beber?

Para homenagear a origem de Mary Shelley, nada melhor do que uma bela cerveja inglesa. A escolhida para a primeira coluna de 2019 é a King`s Cross, uma English Pale Ale produzida pela Cervejaria Verace.

O estilo Pale Ale é um dos mais consumidos pelos britânicos. É uma cerveja leve, de cor avermelhada, com boa formação de espuma e amargor equilibrado. O sabor do malte também está presente mas não se sobressai a nenhuma das outras características da cerveja.

Essa cerveja é muito versátil na harmonização. Combina com carnes, hambúrgueres, pizzas, macarronadas ao sugo, à bolonhesa…. uma infinidade de pratos… até no churrasco vai bem! Minha harmonização preferida é com hambúrguer. O sabor do tostado, da carne e do pão, se equilibra com o adocicado da cerveja, realçando os temperos do hambúrguer.

Esse rótulo da Verace eu conheci na festa de 2 anos da cervejaria. Era um dos lançamentos e foi paixão à primeira vista. As cervejas da escola inglesa são as minhas preferidas, principalmente pelo equilíbrio no sabor e pelo alto drinkability. Essa produzida pela Verace também está assim, bem equilibrada e muito bem feita. Com 39 de IBU e 5,1% de álcool, a cerveja usa lúpulos nobres ingleses, que são mais terrosos e herbais, para trazer todo o sabor de uma autêntica Pale Ale inglesa.

Se você nunca tomou uma cerveja da escola inglesa, essa é uma boa opção para começar!

King`s Cross é uma English Pale Ale produzida pela Cervejaria Verace - Foto: Divulgação/Cervejaria Verace
King`s Cross é uma English Pale Ale produzida pela Cervejaria Verace – Foto: Divulgação/Cervejaria Verace

Toda sexta-feira você vai encontrar, aqui, nesta coluna, uma indicação de filme e de um rótulo de cerveja. Mas quais os critérios para a escolha dos filmes e das cervejas? Veja aqui como é feita a nossa coluna semanal. Você também pode ler as colunas anteriores.

E o que você achou deste filme e da cerveja? Escreva aqui nos comentários e compartilhe sua opinião com a gente!

Responda

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *