Minissérie Sharp Objects e a cerveja Triplet, uma Triple Ipa, são os destaques da coluna desta sexta-feira - Foto: Montagem com Divulgação/HBO e Reprodução/Cervejaria Dádiva
Cinema no Cerveja e Gastronomia

Cinema: Sharp Objects

Quer receber dicas e acompanhar os destaques da semana no seu e-mail? Cadastre-se no Clube Cerveja & Gastronomia!

* campo obrigatório

Uma investigação que acaba transformando a forma como a personagem principal enxerga a própria história. É assim que se desenvolve a história de Sharp Objects, a minissérie da HBO que está na dica de hoje da nossa coluna de cinema do blog Cerveja e Gastronomia.

São apenas oito episódios, de cerca de uma hora cada. É bem rápido e como a série tem um ritmo bom, dá pra ver tudo no mesmo dia (eu vi em dois, pra curtir por mais tempo mesmo!)

Amy Adams é a protagonista e uma das produtoras executivas da misissérie - Foto: Divulgação/HBO
Amy Adams é a protagonista e uma das produtoras executivas da misissérie – Foto: Divulgação/HBO

O título – Sharp Objects – em português, significa “objetos cortantes”. E isso tem muito a ver sobre a série. É que a personagem principal, Camille Preaker, sofre de uma espécie de transtorno psicológico grave, que faz com que ela se corte, como forma de punição.  Ela escreve xingamentos que foram feitos a ela durante toda a vida e tem várias palavras escritas pelo corpo. Interpretada pela atriz Amy Adams, a personagem é muito rica e se desenvolve muito bem durante a série, à medida em que ela vai descobrindo toda a verdade sobre os crimes e sobre si própria.

A série é baseada no livro escrito por Gillian Flynn, a mesma autora de Garota Exemplar. Então já dá para esperar viradas sensacionais e uma história super amarrada, com final surpreendente.

Camille é uma repórter que volta à pequena cidade onde nasceu para cobrir o assassinato de duas adolescentes. Enquanto investiga, se lembra de trechos do passado, quando vivia na cidade e, ao mesmo tempo, ela desenvolve uma relação familiar, numa tentativa de recuperar o contato com os parentes.

A relação entre mãe, padrasto e irmã com a filha (Camille) é muito conturbada e praticamente inexistente. A personagem de Amy Adams demonstra, desde o início, que é uma mulher que sofre com a morte da irmã mais nova, quando ela tinha 15 anos.

Patricia Clarkson interpreta Adora Crellin, a matriarca da família Preaker - Foto: Divulgação/HBO
Patricia Clarkson interpreta Adora Crellin, a matriarca da família Preaker – Foto: Divulgação/HBO

Outro destaque da série é a interpretação de Patrícia Clarkson. Ela faz o papel da mãe de Camille, uma mulher da alta sociedade da cidade de Wind Gap, que tem surtos – principalmente em relação à Camille, a filha mais velha. Enquanto ela cuida bem da filha mais nova, irmã de Camille, parece não valorizar o amor da filha mais velha.

Além de toda essa história familiar e dos problemas como o vício da personagem principal, temos ainda toda a investigação, que caminha bem a cada episódio. Ou seja, é uma excelente opção de minissérie se você gosta do gênero. E o melhor: a série não tem muitas temporadas. A história começa e termina nestes oito episódios.

Relação familiar complicada é um dos temas abordados na minissérie Sharp Objects - Foto: Divulgação/HBO
Relação familiar complicada é um dos temas abordados na minissérie Sharp Objects – Foto: Divulgação/HBO

Veja o trailler da série, exibida pela HBO:

Agora uma dica MUITO IMPORTANTE: No último episódio, assista tudo até acabarem os créditos. São duas cenas extras, uma na metade dos créditos e outra depois de tudo. Elas são esclarecedoras sobre o final da série e valem muito a pena. É quase comparado com a cereja do bolo! Dá aquele toque todo especial ao fim da série.

O que beber?

Os personagens bebem bastante durante os oito episódios (nem foi difícil escolher uma cena em que alguém aparece bebendo cerveja). E para ajudar, a família de Camille tem um abatedouro de porcos. 

O consumo de bebida alcoólica na minissérie é intenso e tem para todos os gostos. Na cena, a cerveja é a estrela de uma festa - Foto: Reprodução/HBO
O consumo de bebida alcoólica na minissérie é intenso e tem para todos os gostos. Na cena, a cerveja é a estrela de uma festa – Foto: Reprodução/HBO

Então, para harmonizar, escolhi uma cerveja que combinasse bem com carne de porco. De todas as carnes, a carne de porco é a minha preferida para harmonizar com cerveja. É que é a gordura ajuda a ampliar o leque de possibilidades dos estilos, permitindo bebidas com lúpulos e uma carga maior alcoólica.

Pensando num belo joelho de porco, a sugestão é a cerveja Triplet, uma Triple Ipa, produzida colaborativamente pelas cervejarias Dádiva, Nils Oscar Brewery e a importadora e distribuidora Suds Insanity.

Triple Ipa é uma cerveja que, além de ter mais álcool, também tem mais amargor do que uma India Pale Ale normal.  Esta, por exemplo, tem 9,5% de álcool. Para aumentar o amargor, o lúpulo escolhido foi o El Dorado. Além de trazer sabor, também acrescenta cheiro de frutas tropicais, o que traz um perfil mais cítrico à cerveja – e isso combina muito com a carne de porco.

Triplet é uma cerveja produzida pela Dádiva em colaboração com a Nils Oscar e a importadora Suds Insanity que usa lúpulos El Dorado em quantidades altas - Foto: Reprodução/Cervejaria Dádiva
Triplet é uma cerveja produzida pela Dádiva em colaboração com a Nils Oscar e a importadora Suds Insanity que usa lúpulos El Dorado em quantidades altas – Foto: Reprodução/Cervejaria Dádiva

Toda sexta-feira você vai encontrar, aqui, nesta coluna, uma indicação de filme e de um rótulo de cerveja. Mas quais os critérios para a escolha dos filmes e das cervejas? Veja aqui como é feita a nossa coluna semanal. Você também pode ler as colunas anteriores.

E o que você achou desta minissérie e da cerveja? Escreva aqui nos comentários e compartilhe sua opinião com a gente!

Responda

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *